sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A BORBOLETA E O PÓLEN ESQUECIDO

Era uma vez uma borboleta e sua família. Ela, Florzinha (como era chamada), adorava voar, não se cansava. Ou, se o cansaço a visitasse, dizia: "fui feita para voar". Passava dias assim, direto voando.

A família de borboletas, onde existem muitas asas, era muito querida na floresta e estava sempre muito tranquila. Verdejantemente, borboletamente tranquila até que, um dia, a notícia se deu: rastros da borboleta Florzinha foram encontrados em pleno sertão. Correram todos: borboletas, papagaios, periquitos e a passarinhada toda, inclusive, os que estavam no Reino das Asas. É que Florzinha, distraidamente, havia esquecido alguns pólens pelo caminho em uma região muito árida; ao voltar para pegá-los, um pequeno acidente se deu, e um dos pólens acabou alojado dentro da própria borboleta e ela adoeceu. Nunca, na face da terra da floresta, havia acontecido tamanha esquisitice.

Apressaram-se todos em encontrar rápido uma solução ao problema. E agora? Asinhas paradas, cores pálidas, antenas a captar pouca coisa...e agora? A mãe da borboleta estremeceu, as irmãs zumbiram dores, o príncipe da borboleta tremeu intimamente, muito intimamente para ninguém perceber que lhe faltavam forças, afinal, era um príncipe.

_ E agora? repetiam todos.

Foi aí que viram o que nunca imaginaram: devagarinho, Florzinha foi-se envolvendo nas próprias asas...até que um novo casulo se fez. Assim permaneceu durante muitos dias, enquanto os demais se revezavam em cuidados ou em amolar suas antenas para vibrarem melhor. E Florzinha lá, no casulo. O pessoal do Reino das Asas mandou avisar: "é assim mesmo, tenham calma! O Rei Maior está no comando!". E estava mesmo, pois depois de um tempo, o casulo foi cedendo, asas novas foram surgindo e uma borboleta mais bela nasceu.

_ O que foi feito do pólen? - perguntaram.

E o Rei Maior respondeu:

_ Um pólen nunca deixa de cumprir sua função. Ele sempre germina. E foi o que aconteceu.

Magna Santos

Para uma amiga que passou dias na UTI, vítima de uma forte pneumonia. Disseram que ela era uma fênix, mas parece que ela é mesmo uma borboleta com um pólen germinado em si mesma.

8 comentários:

tesco disse...

Risos.`´E isso mesmo, Magna, a borboletinha é mesmo uma borboleta. E o pólen germina nos corações das outras asas (aves e insetos). Mas enquanto dura o novo casulo todo mundo fica preocupado: "O que está acontecendo? O lobo mau passou por aqui?" Mais risos. _Beijos florestais.

Luna Freire disse...

Se você conseguisse um bom ilustrador, essa tua história daria um lindo livro infanto-juvenil Magna. E... estou de volta! (Ufa...)

Eduardo Trindade disse...

Uma história infantil bem própria para adultos... Muito interessante, parabéns!

adam disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pachelly Jamacaru disse...

Sempre inspirada! Deixo um grande abraço

Pachelly

Magna Santos disse...

Sabem de uma coisa? As palavras de vocês são o próprio pólen germinado.
Obrigada.
Beijos.
Magna
Obs.:ah, Luna e demais companheiros, se conhecerem algum bom ilustrador...seria lindo dar asas à borboleta.

Srª Mendez-Calafange disse...

Magna, hoje eu choro relendo minha história, contada de forma tão delicada, tão carinhosa, tão criativa. Obrigada! ^^

Magna Santos disse...

Beijo pra você, Florzinha!