quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

CAMINHO*

Quando a ilusão nos perde de vista
Ganhamos o horizonte das possibidades.

Magna Santos.
*Tirei esta fotografia na Praia de Carneiros em Tamandaré-PE, onde os horizontes são todos lindos.

7 comentários:

Hérlon Fernandes Gomes disse...

Adorei a flor de Boa Noite a nos desejar bons dias nesta fotografia tão singela!
Abraços.

Pachelly Jamacaru disse...

E não menos adorei em complento ao comentário do Hérlon, foi exatamente você está fotografando! Lembro bem da Claude Bloc, que também é poetisa e não fotografava, hoje, ela externa e mescla a sua sensibilidade de poetisa com a de fotógrafa e captura tanta coisa linda, singela, e não vai ser difrente com a amiga!

Parabéns não só pela foto, mas por essa inicitiva! Breve você estará postando no www.zoomcariri.com

Abraços, ótimo carnaval!

Magna Santos disse...

Obrigada, amigos!
Também gostei muito desta foto. Passei dois dias tentando pegar um bom ângulo, a luz certa, o modo da máquina e coisa e tal. Acho que só não entendeu quem me viu diversas vezes acocorada olhando a flor, mas tudo bem.
Certamente se eu entendesse mais de fotografia, teria sido mais rápida e o foco sairia melhor.
Que bom que gostaram!
Pachelly, você é mesmo muito generoso, amigo.
Beijos.
Magna

Josias de Paula Jr. disse...

Para além da foto, que versos!!

ps: E no post seguinte tu ainda se pergunta sobre o que é poesia! pois é isto.

tesco disse...

Bela foto e versos condizentes. A paisagem convida a sonhar. As ilusões são muitas e as possibilidades enxameiam. Que vontade de sentar à sombra da árvore e, simplesmente, observar! _Beijos.

Dois Rios disse...

Sim, Magna, o horizonte sempre acena para novas possibilidades.

O contraste da flor com a trilha e o horizonte encaixaram-se amplamente às suas palavras. A sua sensibilidade foi capaz de colocar palavras na imagem. Ela fala por si só. Parabéns!

Beijos,
Inês

Anônimo disse...

Cara Comadre: Uma caracteristica de nós matutos é o poder de contemplar, com isso fazem suas previsões observando os animais, as flores, as nuvens, os ventos, enfim aprendem como o mundo funciona só olhando. Parabens pela matutice preservada e pela capacidade de demonstrar a sua caracteristica de contemplar ( mesmo na era dos botôes ). Halano.