sábado, 29 de agosto de 2009

RAPUNZEL DO SERTÃO

E assim Rapunzel ficou esperando seu príncipe
Sem tranças
Sem ilusões
Ou fantasias
E para escapar da agonia
Plantou flores de plástico ao sol poente
Nem toda dor decorre da gente
Nem toda cor retrata a lente.


Estas foram algumas palavras escritas a partir desta fotografia. Sementeiras está quase criando uma série pras parcerias com Pachelly Jamacaru, ou melhor dizendo, para as caronas inspiradas nas imagens captadas por este artista (sempre muito generoso comigo, sem ao menos me conhecer pessoalmente).

Apesar de arriscar tirar um pouco do proposto acima, eu não poderia, desta vez, publicar as palavras que me vieram, sem traçar um pequeno paralelo do que acredito ser a realidade da imagem, com base no meu conhecimento do povo sertanejo, do qual faço parte. Fico imaginando o que esta senhorinha diria ou sentiria se lesse o que escrevi... Ela, logo ela que acorda todo dia 4:30 da manhã, vê o sol nascer na serra, cata feijão, arroz, prepara o almoço, lava roupa, varre a casa...e assim permanece entre um afazer e outro até marcar as 18:00h, hora da Ave Maria, quando então se recolhe para agradecer o dia e a noite e pedir a bênção à Mãe Maior. Sim, assim mesmo, sem ilusões nem fantasias. Só calos nas mãos e uma gratidão imensa no coração.


Magna Santos

6 comentários:

Pachelly Jamacaru disse...

Magnas, os cegos confiam mais no que os toca do que no que toca! Acho que sua alma me tocou de certa forma ou de outra forma, quando tateie a sua!
Abraços

Hérlon Fernandes Gomes disse...

Plantar flores de plástico porque jamais farão de sua esperança algo murcho e desacreditado.
Tocantes, sua poesia e a fotografia do Pachelly Jamacaru.

Marina disse...

Linda foto e lindo paralelo. Ela lembra mesmo Rapunzel, com uma expressão sofrida e ainda um brilho sonhador. Se houver uma série, dou o maio apoio. Beijos, Magna!

Renata de Aragão Lopes disse...

Que lindo isso:
Rapunzel do sertão! : )

Um beijo,
doce de lira

Clarisse disse...

magna, a melhor parte da sua visita é que me incita e relembra de visitá-la também. amei a rapunzel do sertão, tanto a foto quanto as suas palavras extraídas dela... como sumo, sei lá, de mandacaru... obrigada!

Magna Santos disse...

Pachelly, que posso dizer, senão te agradecer? Obrigada de coração.
Hérlon, você sempre traz reflexões. Grata.
Marina, só você mesmo. Aliás, desde o início você me dá esse apoio, né não? Obrigada.
Renata, bem-vinda. Fale mais.
Clarisse, estava sentindo sua falta, sempre tão natural e espontânea, que é o que você parece ser.
Abraços em todos.
Magna